Agende sua consulta
Fale conosco pelo WhatsApp
Quais são os tipos de catarata?
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)
05/10/2023

Conheça os tipos, sintomas e tratamentos da doença

A catarata é uma alteração ocular que leva à perda de transparência do cristalino, lente que fica atrás da íris. Trata-se de um problema geralmente relacionado à idade – mais comum em pessoas acima dos 55 anos –, mas que pode ser causado por diferentes fatores e, se não tratado, levar à perda da visão. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a catarata é responsável por 47,8% dos casos de cegueira no mundo.

Existem quatro tipos de catarata. No texto a seguir, saiba quais são eles, como diagnosticar e tratar o problema.

Quais os sintomas da catarata?

Quando a catarata está em seu estágio inicial, ela pode não apresentar nenhum sintoma, porém, à medida que o quadro se agrave, a catarata pode causar alterações na visão, como:

  • Visão turva ou embaçada;
  • As cores parecem desbotadas;
  • Dificuldade para enxergar à noite;
  • Sensibilidade à luz;
  • Visão dupla;
  • Pontos luminosos ao redor da visão;
  • Presença de um halo ao redor das luzes;
  • Necessidade de alterar o grau dos óculos ou das lentes de contato com frequência.

Quais são os tipos de catarata?

Existem quatro tipos de catarata. São eles:

Catarata senil

É o tipo de catarata mais comum e está relacionado à idade. Com o avançar dos anos, o cristalino vai envelhecendo e perdendo sua transparência, o que vai impactando a visão. Este tipo de catarata costuma surgir em pessoas a partir dos 55 anos de idade.

Catarata congênita

Este tipo de catarata está presente desde o nascimento e está associado a fatores genéticos, alterações cromossômicas ou infecções durante a gestação.

Catarata secundária

Este tipo de catarata está associado a doenças oculares, como uveíte, glaucoma e miopia, ou ao uso de medicamentos, como anti-inflamatórios ou corticoides.

Catarata traumática

Trata-se de um tipo de catarata que surge após algum evento traumático, como lesão ocular, perfuração ou tratamento realizado com radiação.

Diagnóstico e tratamentos dos tipos de cataratas

O diagnóstico da catarata é feito por meio do histórico médico do paciente e dos sintomas apresentados, além de alguns exames que podem ser solicitados. Dentre eles, destacam-se:

  • Teste de acuidade visual;
  • Exame com lâmpada de fenda, que permite avaliar as estruturas localizadas na frente do olho, como íris e córnea;
  • Exame de retina (feito com a pupila dilatada com o uso de um colírio);
  • Tonometria de aplanação (avalia a pressão intraocular).

O único tratamento para qualquer tipo de catarata é a cirurgia. O procedimento é rápido e indolor. Conhecido como facoemulsificação, consiste na destruição do cristalino opaco em pequenos pedaços – com o auxílio de um ultrassom – que serão em seguida aspirados.

Realizada essa etapa, o cirurgião implanta um cristalino artificial, chamado lente intraocular, no olho. A cirurgia de catarata é realizada com o paciente anestesiado e, na grande maioria dos casos, o paciente volta a enxergar nitidamente depois do procedimento. A recuperação completa da cirurgia leva de quatro a oito semanas e, depois do procedimento, a catarata não volta mais.

Como prevenir a catarata?

Dependendo do tipo de catarata, ela pode ser prevenida com algumas ações, como:

  • Usar óculos escuros e chapéu com aba larga para proteger os olhos dos raios solares;
  • Ao utilizar ferramentas elétricas ou praticar certos esportes, usar óculos de proteção;
  • Não fumar;
  • Ter uma dieta rica em legumes, frutas e verduras;
  • Evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Manter controladas doenças como diabetes ou outras condições crônicas;
  • Consultar um oftalmologista regularmente para realizar os exames de rotina.

Entre em contato com a CEMO e agende sua consulta.

 

Fontes:

National Eye Institute

Organização Mundial da Saúde (OMS)

Mayo Clinic