Agende sua consulta
Fale conosco pelo WhatsApp
Erros de refração: quais os tipos?
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)

Condição é comum em grande parte da população. Saiba mais sobre seus tipos, sintomas e tratamentos.

Em uma visão normal, a luz que entra no olho é refratada à medida que passa pela córnea e pelo cristalino (lente do olho), antes de se focar na retina, região que contém células fotossensíveis responsáveis por converter a luz em sinais elétricos que o cérebro pode interpretar. Se a refração do olho é perfeita, a imagem formada na retina é clara e nítida.

Quero tratar um erro de refração!

Quando, por algum motivo, a refração apropriada da luz não ocorre, a imagem que o paciente enxerga se torna turva, embaçada ou opaca. Chamamos isso de erros de refração, condição que está entre os problemas de visão mais comuns.

Saiba mais sobre suas variações lendo o texto a seguir.

O que são erros de refração?

Os erros de refração são uma condição ocular comum que ocorre quando o formato do olho impede que a luz se concentre diretamente na parte de trás deste, resultando, entre outros sintomas, em visão embaçada.

O que causa os erros de refração?

Os erros de refração podem ocorrer como resultado de um, ou alguns, dos seguintes fatores:

  • Comprimento do globo ocular (quando o globo ocular é muito longo ou muito curto);
  • Alterações no formato da córnea ou do cristalino;
  • Envelhecimento natural;
  • Cirurgias prévias, como de catarata.

Atente-se as causas dos erros de refração. Agende uma consulta!

Tipos de erros de refração

Os erros de refração são classificados em quatro tipos:

Miopia

A miopia é um tipo de erro de refração no qual os objetos distantes aparecem fora de foco. Essa condição ocorre porque o globo ocular é muito longo, ou porque o poder refrativo do olho é muito forte devido ao formato da córnea. A miopia geralmente se desenvolve em crianças com até os 10 anos de idade.

Dentre os principais sintomas da miopia, que pode ser curada com cirurgia, destacam-se:

  • Visão turva ao olhar para objetos distantes, especialmente à noite;
  • Dor de cabeça;
  • Fadiga ocular;
  • Estrabismo.

Hipermetropia

A hipermetropia é um dos erros de refração mais comuns. Nesse quadro, objetos próximos aparecem fora de foco, seja porque o globo ocular é muito curto, ou porque o poder de refração do olho é muito fraco devido ao formato da córnea dentro do olho. Assim como a miopia, a hipermetropia também pode ser curada cirurgicamente.

A hipermetropia apresenta sintomas, como:

  • Visão turva;
  • Dor de cabeça;
  • Fadiga ocular;
  • Estrabismo.

Astigmatismo

O astigmatismo é um tipo de erro de refração que geralmente se apresenta ao nascimento. Uma forma anormal da córnea ou da lente causa dois pontos focais em dois locais, fazendo com que os objetos de perto e à distância pareçam embaçados. O astigmatismo, curado cirurgicamente, pode ocorrer ao mesmo tempo que a miopia ou hipermetropia.

Os principais sintomas desse erro de refração são:

  • Dificuldade para enxergar de maneira nítida tanto de longe quanto de perto;
  • Visão turva;
  • Dor de cabeça;
  • Fadiga ocular;
  • Estrabismo.

Trate os erros de refração com especialistas da Clínica CEMO!

Presbiopia

A presbiopia é um tipo de erro de refração relacionado à idade. À medida que a pessoa envelhece, os objetos próximos aparecem gradualmente fora de foco. Sua principal causa é a perda da elasticidade do cristalino. A presbiopia geralmente apresenta seus primeiros sinais por volta dos 40 anos, e estes vão progredindo ao longo da vida. É possível ter astigmatismo, hipermetropia ou miopia junto com a presbiopia.

Os sintomas da presbiopia incluem:

  • Visão turva ou distorcida a curta distância;
  • Dor de cabeça;
  • Fadiga ocular;
  • Necessidade de manter os objetos mais distantes do campo visual para poder enxergá-los claramente.

A presbiopia não tem cura, mas pode ser corrigida e estabilizada com o uso de óculos, lentes de contato ou cirurgia.

Como o diagnóstico dos erros de refração é realizado?

Os erros de refração podem ser diagnosticados por meio de alguns testes, como:

  • Teste de acuidade visual para medir a visão à distância;
  • Teste de refração para determinar o tipo de erro refrativo e seu grau;
  • Exame com lâmpada de fenda para avaliar as estruturas dos olhos.

Como corrigir os erros de refração?

Dependendo da gravidade do problema e do desejo do paciente, existem algumas opções para corrigir os erros de refração. Conheça-as abaixo.

Óculos e lentes de contato

Os óculos, assim como as lentes de contato, que ficam colocadas na superfície dos olhos, são a maneira mais simples e segura de corrigir os erros de refração. O objetivo dos óculos e das lentes é ajustar a luz antes que esta entre nos olhos, ajudando, assim, a pessoa a enxergar com maior clareza e nitidez.

Cirurgia refrativa

Alguns tipos de cirurgia, como a cirurgia ocular a laser, podem alterar a forma da córnea para corrigir os erros de refração. O tipo mais comum de cirurgia refrativa é chamado LASIK (laser-assisted in situ keratomileusis).

Outro tipo de cirurgia refrativa para corrigir os erros de refração é a ceratectomia fotorrefrativa (PRK), também realizada com laser.

Geralmente, essas cirurgias refrativas trazem melhores resultados em adultos que sofrem de miopia, hipermetropia ou astigmatismo. Além disso, para que a cirurgia alcance seu objetivo, a visão do paciente precisa estar estável, o que significa que a prescrição de óculos ou lentes de contato deve permanecer a mesma ao longo do tempo.

Normalmente, o oftalmologista inicia os tratamentos dos erros de refração com o uso de óculos ou lentes de contato antes de sugerir uma cirurgia de correção da visão.

Como a Clínica CEMO pode ajudar?

A Clínica CEMO é referência em diagnóstico e tratamento de doenças oculares. Com um corpo clínico especializado, oferece um atendimento individualizado, indicando o tratamento mais adequado após extensa avaliação do quadro do paciente.

Para saber mais sobre os erros de refração e outras doenças oculares, agende sua consulta com um especialista.

 

Fontes:

Academia Americana de Oftalmologia

Biblioteca Virtual em Saúde

Cleveland Clinic

Manual MSD