Agende sua consulta
Fale conosco pelo WhatsApp
Qual o tratamento para retinopatia diabética?
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)
09/02/2024

Doença, que não tem cura, pode ser tratada por meio de cirurgias para evitar sua progressão

A retinopatia diabética é uma doença ocular que pode causar perda de visão e cegueira em pessoas que têm diabetes mal controlado. Os níveis de açúcar no sangue elevados podem acarretar danos aos vasos sanguíneos da retina, uma membrana fina que reveste a superfície interna da parte posterior do globo ocular.

Esses vasos sanguíneos podem inchar e vazar; ou podem fechar, impedindo a passagem de sangue. Às vezes, novos vasos sanguíneos crescem na retina. Todas essas mudanças podem levar a problemas na visão.

A retinopatia diabética pode se desenvolver em qualquer pessoa que tenha diabetes tipo 1 ou tipo 2, e se apresenta de duas formas: retinopatia diabética proliferativa e não proliferativa.

A primeira é a fase mais avançada da doença, sendo caracterizada pelo aparecimento de novos vasos na superfície da retina e da papila. O segundo tipo — retinopatia diabética não proliferativa — é a doença em seu estágio inicial.

Saiba quais os sintomas, como é diagnosticada e qual o tratamento para retinopatia diabética no texto a seguir.

Conheça aqui os tratamentos para a retinopatia diabética. Agende sua consulta!

Principais sintomas da retinopatia diabética

A princípio, a retinopatia diabética pode não causar sintomas ou pode causar apenas problemas leves de visão. Mas, se o tratamento para retinopatia diabética não for realizado conforme indicação médica, a doença pode levar à cegueira.

Assim, conforme a condição progride, o paciente pode apresentar:

  • Manchas ou percepção de pequenas moscas voando;
  • Visão turva;
  • Visão flutuante;
  • Cores desbotadas;
  • Dificuldade para enxergar à noite;
  • Áreas escuras ou vazias na visão;
  • Perda de visão.

Como é realizado o diagnóstico?

O diagnóstico da retinopatia diabética deve ser feito pelo médico oftalmologista por meio dos seguintes exames:

  • Teste de acuidade visual, para averiguar a visão do paciente;
  • Exame de fundo de olho (fundoscopia) com dilatação, para avaliar a retina e outras estruturas na parte posterior do olho;
  • Tonometria, que mede a pressão no interior do olho;
  • Angiografia fluoresceínica, exame que detecta sinais precoces da doença na retina;
  • Tomografia de coerência óptica (OCT), que mostra a espessura da retina.

A retinopatia diabética tem cura?

A retinopatia diabética é uma doença que não tem cura, mas que pode ser tratada para evitar o risco de complicações e de perda da visão.

Conheça aqui os tratamentos para a retinopatia diabética. Agende sua consulta!

Tratamento para retinopatia diabética

O tratamento para retinopatia diabética depende da fase da doença (proliferativa e não proliferativa) e tem como objetivo retardar ou frear sua progressão. Ele pode ser feito por meio de duas cirurgias.

Cirurgia a laser

Neste tratamento para retinopatia diabética, o médico utiliza o laser para tratar os vasos sanguíneos anormais, fazendo com que eles, por meio de uma queimadura controlada, se retraiam e cicatrizem, estancando assim o vazamento de sangue e de humor vítreo — fluido gelatinoso e transparente que preenche parte do interior do globo ocular e que permite manter a forma do olho. Este tratamento para retinopatia diabética é feito no consultório. Após a cirurgia a laser para tratamento da retinopatia diabética, a visão lateral pode diminuir um pouco e a visão noturna pode ser reduzida. É possível que a visão central fique embaçada por algumas semanas.

Cirurgia de retina e vítreo

Neste tipo de tratamento para retinopatia diabética, também chamado de vitrectomia, o médico remove parte ou todo o humor vítreo do olho e o substitui por uma solução salina, gás ou óleo de silicone. Os dois primeiros são absorvidos pelo corpo com o tempo. Se o óleo de silicone for usado, ele geralmente é removido cirurgicamente alguns meses depois da primeira cirurgia.

Na cirurgia de retina e vítreo, o oftalmologista remove também o sangue dos vasos que vaza na parte de trás do olho. Isso permite que os raios de luz se concentrem adequadamente na retina novamente.

Onde realizar o tratamento para retinopatia diabética?

O tratamento para retinopatia diabética deve ser realizado por profissionais especializados, para evitar a perda da visão. A Clínica CEMO possui mais de 20 anos de atividade e conta com especialistas em retina, oferecendo um tratamento humanizado e personalizado para melhor atender às necessidades dos pacientes.

Entre em contato com a Clínica CEMO e agende sua consulta.

Conheça aqui os tratamentos para a retinopatia diabética. Agende sua consulta!

Fontes:

Mayo Clinic

Retina Brasil

Cleveland Clinic