Agende sua consulta
Fale conosco pelo WhatsApp
Aplicação de toxina botulínica
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)

Embora utilizada principalmente para fins estéticos, a toxina botulínica também pode ser instrumento da Oftalmologia

A aplicação de toxina botulínica é um procedimento muito conhecido por suas finalidades estéticas. No entanto, em alguns casos, essa substância pode ser utilizada em tratamentos com finalidade de melhora da saúde, como no tratamento de algumas doenças tratadas pela Oftalmologia, entre outras. Entenda mais a seguir.

Agende sua consulta com um oftalmologista agora mesmo!

O que é toxina botulínica?

A toxina botulínica, também conhecida como botox, é uma neurotoxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum. Existem diferentes tipos de botox, sendo os tipos A e B os mais comuns em uso médico. Essa toxina age bloqueando a liberação do neurotransmissor acetilcolina nas terminações nervosas, o que resulta na paralisação temporária dos músculos onde é aplicada.

A toxina botulínica é amplamente utilizada em procedimentos estéticos para reduzir temporariamente as rugas e linhas de expressão no rosto. Quando injetada em pequenas quantidades nos músculos faciais, ela impede a contração muscular excessiva, suavizando as rugas e proporcionando uma aparência mais jovem. Além disso, a toxina também pode ser usada para tratar algumas patologias, como o estrabismo, espasmos musculares, hiperidrose (excesso de suor) e enxaqueca crônica.

Para quem é indicado o procedimento?

São diversas as situações em que a toxina botulínica pode ser recomendada. Abaixo, falaremos sobre algumas das principais indicações de sua aplicação.

Procedimentos estéticos

O principal uso da toxina botulínica, certamente, ainda é aquele associado a tratamentos estéticos. O procedimento é bastante realizado com a finalidade de reduzir rugas e linhas de expressão no rosto. Pessoas que desejam suavizar as rugas na testa, ao redor dos olhos (os chamados pés de galinha) e entre as sobrancelhas costumam recorrer à técnica, de modo a tornar a pele mais jovial e firme.

Tratamento de doenças

Além do uso estético, a toxina botulínica também é indicada para tratar certas condições de saúde. Por exemplo, a técnica pode ser usada para tratar o estrabismo, problema caracterizado pelo desalinhamento dos olhos. A aplicação da toxina age no relaxamento dos músculos oculares, permitindo um melhor alinhamento.

A toxina botulínica também pode ser utilizada para controlar espasmos musculares, como os blefarospasmos (contrações involuntárias das pálpebras) e os espasmos hemifaciais (contrações musculares do lado de metade do rosto).

Conheça o poder da toxina botulínica. Marque sua consulta!

Hiperidrose

A toxina botulínica acaba sendo uma opção eficaz de tratamento para as pessoas que sofrem com a hiperidrose, uma condição caracterizada pelo excesso de suor. Pode ser aplicada em áreas específicas do corpo, como axilas, mãos, pés ou couro cabeludo, de modo a bloquear provisoriamente os sinais nervosos que ativam as glândulas sudoríparas, reduzindo, então, a produção do suor.

Enxaqueca crônica

A toxina botulínica também pode ser indicada como uma opção de tratamento para enxaqueca crônica. Quando administrada em pontos específicos da cabeça e do pescoço, pode ajudar a aliviar a frequência e a intensidade das crises.

Quais são os locais de aplicação?

A toxina botulínica pode ser aplicada em diferentes locais do corpo, dependendo da finalidade do tratamento. Abaixo, listamos alguns dos locais mais comuns de aplicação:

  • Rosto, para suavizar rugas e linhas de expressão, sobretudo na testa e entre as sobrancelhas;
  • Axilas, para tratar a hiperidrose;
  • Mãos e pés, onde a hiperidrose também pode ser um problema;
  • Pescoço e mandíbula, para tratar o bruxismo, condição caracterizada pelo ranger dos dentes;
  • Outros usos médicos, como em músculos oculares para tratar estrabismo, em músculos faciais para tratar espasmos musculares e em pontos específicos da cabeça e do pescoço para o tratamento de enxaqueca crônica.

Como é feita a aplicação de toxina botulínica?

A aplicação da toxina botulínica é um procedimento relativamente rápido e simples, geralmente realizado em consultórios médicos. Antes de iniciar o procedimento, o especialista realiza uma avaliação do paciente, discute as expectativas e objetivos do tratamento, e marca os pontos de injeção.

Durante a aplicação, o médico utiliza uma agulha muito fina para injetar pequenas quantidades de toxina botulínica diretamente nos músculos-alvo. O número de injeções e a quantidade de toxina utilizada dependem das áreas tratadas e das necessidades específicas do paciente. Em geral, as injeções são praticamente indolores, mas pode ser utilizado um anestésico tópico ou gelo para minimizar o desconforto.

Quanto tempo dura o efeito da toxina botulínica?

O efeito da toxina botulínica varia de pessoa para pessoa, mas geralmente dura em torno de três a seis meses. Após esse período, a ação começa a diminuir e os músculos gradualmente recuperam sua função normal. Para manter os resultados desejados, é recomendado agendar sessões de retoque conforme orientação médica, que podem ocorrer a cada três a seis meses, dependendo das necessidades e da resposta de cada organismo.

Quais cuidados tomar depois da aplicação?

Após a aplicação da toxina botulínica, é importante seguir alguns cuidados para garantir os melhores resultados. Primeiramente, deve-se evitar tocar ou massagear a área tratada nas primeiras horas após o procedimento. Isso ajuda a impedir que ocorra a dispersão da toxina para outras áreas, bem como auxilia para que ela seja adequadamente absorvida nos músculos-alvo.

Além disso, é necessário evitar os exercícios físicos intensos, sauna, banhos quentes e exposição excessiva ao sol nas primeiras 24 horas após a aplicação. Essas atividades podem aumentar o fluxo sanguíneo na região e interferir na eficácia da toxina botulínica.

É fundamental que o paciente se mantenha em posição vertical nas primeiras horas após a aplicação, evitando deitar-se de maneira completamente plana, pois isso pode facilitar a disseminação da toxina para áreas não desejadas. Se possível, é recomendado dormir com a cabeça elevada em um travesseiro, o que ajuda a reduzir o risco de movimentação e dispersão da substância.

Por fim, é importante seguir as recomendações do médico quanto ao agendamento de consultas de acompanhamento. É comum que sejam marcadas avaliações para verificar os resultados e, se necessário, realizar retoques. Essas consultas são importantes para avaliar a resposta individual ao tratamento e ajustar as doses conforme necessário.

 

Fontes:

Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica;

Sociedade Brasileira de Toxina Botulínica.

O CEMO Osasco é uma clinica localizada no centro de Osasco, em São Paulo. Realizamos consultas e tratamentos de oftalmologia para todas as idades